Buscar
  • Pride Saúde Integrada

Disforia de gênero


A disforia de gênero é caracterizada pelo DSM 5 como a incongruência afetiva e cognitiva de um indivíduo com o sexo que lhe fora atribuído ao nascimento, podendo essa reverberar como grande fonte de sofrimento (Fleury & Abdo, 2018)


Desse modo, quando identificada essa angústia ligada a sensação de incompatibilidade entre sexo anatômico e identidade, diferentes possibilidades de intervenção podem ser pensadas com objetivo de promover um melhor bem estar para o indivíduo.


Atualmente, há o reconhecimento de um contínuo de identidades de gênero, que não se restringe ao binarismo (homem/ mulher, masculino/ feminino) e portanto,as possíveis intervenções físicas e psíquicas devem atender as necessidades de cada indivíduo de modo singular.


Nesse paradigma, Fleury e Abdo (2018) apontam algumas das diversas possibilidades de acompanhamento, como : terapia hormonal, cirurgias para adequação dos órgãos sexuais ou complementares (cordas vocais, implantes peitorais, redução da cartilagem tireoidiana, reconstrução capilar e procedimentos estéticos), adequação do papel social de gênero, além do acompanhamento psicoterápico!


LEMBREM-SE : A não conformidade entre o sexo atribuído ao nascimento e a identidade de gênero não é, por si só, patológica!


Referência:Fleury, H. J.; Abdo, C, H. Atualidades em disforia de gênero, saúde mental e psicoterapia. Programa de Estudos em Sexualidade (ProSex) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo